Abrir/Fechar Menu
Portal da Cofco para difusão de boas práticas agrícolas no Brasil!

Intitulada Plante Legal, campanha pretende conscientizar produtores sobre os riscos das sementes ilegais e as possíveis perdas para a lavoura e a sociedade

São Paulo, 27 de julho – O mercado de sementes piratas tem crescido cada vez mais no Brasil, colocando em risco culturas inteiras, bem como a continuidade de programas de melhoramento genético, por uma economia que muitas vezes não chega a 5% da produção. Preocupada com essa atitude arriscada, a Nidera Sementes acaba de lançar a campanha Plante Legal, para alertar sobre a pirataria, valorizar a semente certificada, seus benefícios e os riscos que o agricultor corre ao produzir, vender e/ou plantar uma semente pirata.

Além de um material explicativo, que pode ser acessado ao final do texto e compartilhado com clientes e parceiros, a Nidera irá distribuir panfletos em pontos estratégicos, enviar e-mails explicativos e fazer postagens semanais nas redes sociais para que a campanha possa atingir um número crescente de pessoas, evitando que o problema se espalhe.

Os maiores investimentos em pesquisa genética em soja começou a acontecer no Brasil após a entrada em vigor da Lei de Proteção de Cultivares, em 1997. Com o marco regulatório, foram lançadas novas cultivares, mais produtivas e específicas para os diferentes ambientes agrícolas do país. Hoje, por exemplo, existem mais de 500 cultivares diferentes registradas comercialmente. A evolução genética, além do rendimento final, trouxe também melhoria nas características agronômicas das variedades, gerando maiores segurança e praticidade na condução da lavoura. Desde 1997, somente a produtividade média de soja no Brasil aumentou 25% no País e a produção, cresceu expressivos 230%.

Todas essas conquistas só foram possíveis porque a cadeia produtiva da soja está, cada dia mais, reconhecendo o valor do elo, promovendo maior rentabilidade aos produtores rurais e garantindo novas injeções financeiras nos centros de pesquisa das empresas obtentoras de genética. A Nidera Sementes, em seus 10 anos de Brasil, acredita que sua existência e permanência neste mercado é resultado de uma oferta de produtos superiores e inovadores atrelados a uma presença ao lado do agricultor durante todo o ciclo agrícola.

Entretanto, nas últimas safras, o mercado de sementes certificadas, que reconhece o valor de toda a cadeia, tem sofrido com a produção e/ou comercialização ilegal de sementes de soja. É o mercado de soja pirata, também conhecido como “bolsa branca” ou “saco branco”. Com preços inferiores e sem o devido cumprimento à Lei de Sementes, este “mercado” oferece genéticas de ponta sem reconhecer o valor dos centros de pesquisa e empresas que desenvolveram a tecnologia.

Além de limitar o lançamento de cultivares superiores, a atitude traz o risco de introdução de pragas e doenças em áreas indenes, o que pode inviabilizar seu potencial de produção. A utilização de sementes piratas já trouxe de volta doenças antes banidas de algumas culturas, como a mancha olho-de-rã na soja (Cercospora sojina). Assim, a opção pela utilização de sementes de qualidade superior deve ser o ponto de partida para a sustentabilidade do agronegócio.

Por isso, a Nidera convida todos a fazer parte da campanha, pois “juntos produzimos mais”.

Acesse o material explicativo do Plante Legal:

Material explicativo da campanha PLANTE LEGAL

Acesse

Fonte: Nidera Sementes
Foto: Nidera Sementes

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil, exceto quando especificado em contrário e nos conteúdos replicados de outras fontes.